Crónica Final

Está a chegar ao fim e à porta já está o novo. Substituímos o velho pelo novo e fazemos a festa por essa ocasião. Entretanto passaram-se 365, os dias que o enchem, seja de chuva ou sol, nuvens ou céu limpo, sejam bons ou maus, de sorrisos rasgados ou lágrimas caídas, há de tudo durante um ano, mas agora está a chegar a hora de arrumarmos mais um no baú, ressalvando tudo o que de bom houve, guardando o que de mau aconteceu, como uma lição, para não voltarmos a repetir.

Este foi um ano ímpar, ímpar em tudo, desde o número aos acontecimentos.

Poderia enumerar tantas coisas boas e más que aconteceram, fazer um resumo dos doze meses ou simplesmente dizer-vos o que mais me marcou a mim e ao meu caderno amarelo. Opto pela última e de forma tão breve quanto possível, tentando fazer com que as lágrimas não caiam pelo canto do olho.

2015 foi efectivamente o ano da mudança, desde logo n’O Meu Caderno Amarelo. O início ainda foi fulgurante, mas depressa o tempo escasseou e as páginas ficaram preenchidas. Quase que se encerrou um ciclo, mas lá se foi escrevendo alguma coisa, mais ou menos sentida, com melhor ou pior qualidade. Tudo se deveu a uma boa causa, a conclusão de mais um ciclo na minha vida académica, com tanto sucesso como o que ansiava! Quase ao mesmo tempo entrou na minha vida aquela que é a luz dos meus olhos e que tornou sem dúvida a minha última metade do ano aquela que mais fez valer a pena, a mais feliz! Houve mudanças e bem complicadas. O Porto acolhe-me agora como casa e embarquei naquela que tem sido a minha verdadeira aventura na área profissional! Com sorte aqui e acolá, com coisas boas a surgirem, outras más, não posso deixar passar alguns dos azares que este último mês trouxe, mas afinal, que é da vida sem contratempos? Seria fácil de mais!

Ah! Quase me esquecia… No meio disto tudo fiquei mais velho, perdi mais dois ou três cabelos, mas continuo igual, igual a mim mesmo, com vontade de arranjar outro caderno amarelo talvez, ou com vontade de abraçar a vida e fazer com que os próximos 365 dias sejam ainda melhores que estes que estão a acabar, na verdade teremos 366 em 2016, mais um ano especial, assim o façamos, assim ele queira!

Feliz Ano Novo, cheio de sucessos e repleto de sorrisos, quiçá de cadernos amarelos!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s